sexta-feira, 12 de junho de 2009

A consciência e poder das mulheres

O ponto de aglutinação dos homens olha para fora e o das mulheres para dentro. Isto proporciona uma maneira diferente de interpretar e de perceber, uma visão diferente das coisas. Os bruxos têm insistido desde sempre nessa grande diferença entre homens e mulheres.

Segundo o mundo dos bruxos, as mulheres sabem coisas de uma maneira natural.

Sabem de uma forma que a mente masculina não pode conceber.

A socialização demanda que os homens ditem as normas, o que faz com que se sintam “sagrados”.

Para que este processo funcione, a socialização destroçou as sensações femininas.

As mulheres são mais inteligentes, mas não estão interessadas na taxonomia em estabelecer categorias. Taxonomizar é uma condição masculina. Deixem que eles estabeleçam suas categorias e medidas, vocês não têm por que fazê-lo. Para que teriam que fazê-lo?

Vocês devem ser conscientes do que os homens têm feito a vocês. Inclusive o desejo de liberação, do último século, por parte das mulheres tem sido criado e induzido pelos homens. Desta forma a mulher “liberada” repete os padrões masculinos.

Eles brincam com o papel de “coitados bebezinhos” que vocês cuidam e amamentam. Por que o permitem?

Mas pelas suas próprias características as mulheres carecem de uma filosofia definida, de um sistema de pensamento que possa lhes servir de suporte para sustentar um propósito. O homem bruxo que têm alcançado um nível de sobriedade pode lhes proporcionar este sistema de pensamento. Este é o suporte que pode sustentar uma nova forma de viver.

Don Juan era um homem, mas não era em absoluto um macho, tinha eliminado a raiz do machismo em si mesmo. Para homens e mulheres aceitar que somos seres que vamos a morrer implica num novo arranjo.

Se seguirmos nos comportando como imortais nada novo pode nos acontecer.

As mulheres estão capacitadas para deter o fluxo de pensamentos, podem exercitá-lo com facilidade e entrar num estado quase “vegetativo”, quando estão submetidas a pressões físicas ou psicológicas fortes. Mas a falha radical é que a mulher não é persistente. Têm logrado este estado parcialmente, simplesmente porque são mulheres, sem esforço. Sua indiferença é outro resultado da socialização do macho.

Mas os bruxos querem dar a esta capacidade um propósito transcendente: que esta parada do fluxo de pensamento não se leve a cabo por pressões, por fuga, raiva ou tristeza, mas por um propósito plenamente consciente e dirigido.

Para isto a bruxa precisa se disciplinar num grau extremo.

Desde nosso ponto de vista o grande erro do mundo bruxo de don Juan foi o seu isolamento, um isolamento que foi mantido de geração em geração e que talvez tenha relação com a preponderância feminina dos grupos de bruxos. As mulheres são muito insulares.

Nós terminamos com esse isolamento. Um seminário deste tipo nunca foi feito antes.

Talvez não possa convencer ninguém, não possa alcançar ninguém, mas estou tentando fazê-lo.

Se as mulheres conseguissem, através da disciplina, deter seu fluxo de pensamentos o que não seriam capazes de ver?

A Tensegridade as ajuda neste propósito, a tensegridade fala por si mesma.

As mulheres costumam pensar “estou louca”. Isso é a socialização. Não estão loucas em absoluto, simplesmente são mulheres! E essa loucura pode se converter em algo delicioso. Mas vocês vivem de acordo com as idéias dos machos e ainda as interiorizam. Isso sim é loucura.

Tenho visto “garotos bonzinhos” ao meu redor, muitos garotos bonzinhos e submissos que procuram me agradar.

Mas nunca conheci “garotas boazinhas”.

Não levo a serio a mim mesmo. O que é serio para mim é o que faço, e o que faço é a única avenida possível que fui capaz de encontrar, a mais poderosa. Precisa-se de uma grande sobriedade para decidir o que nos esgota no mundo cotidiano.

Aos homens fascina estar num altar. Fascina, e as mulheres o permitem. Exceto em famílias que praticam uma educação equilibrada, de uma mulher ninguém se ocupa a não ser que se case e forme uma família. As mulheres têm sido socializadas para serem inimigas entre si, para serem competidoras. Na realidade todos os homens buscam em vocês as suas “mãezinhas”.

Encarem duma vez o fato de que são mulheres. Chegará o momento em que vocês serão forçadas a cooperar entre si se quiserem que o mundo sobreviva. A raça humana desaparece. Somente vocês são poderosas, mas adoram brincar de ser “menininhas eternas”.

Dentro de todos nós existe um fluxo de conhecimento. Através dele desenvolvemos estados subjetivos que podem se intercambiar e que criam um campo de intersubjetividade que possibilita a comunicação entre as pessoas. Mas a não ser que experimentem as ações práticas do mundo dos bruxos, não há forma de compartilhar com os bruxos uma intersubjetividade. Falar somente de nós mesmos nos impede de ser conscientes do fluxo de energia. Há que forçar o estado de silêncio interno.

Compartilhar a intersubjetividade dos bruxos pode se iniciar com a Tensegridade. Seus movimentos não foram inventados, e sim descobertos, segundo Don Juan entre sete mil e dez mil anos atrás. Os movimentos são um atalho para aquietar o diálogo interno. Não podem mudar essa possibilidade pelas idéias que os homens lhes deram, não é justo que o façam. Façam a Tensegridade como se não existisse o amanhã, porque de fato não existe. Vamos morrer. Que enorme conselheira é a Morte!

Quero lhes dar idéias racionais, um “corpus” de conhecimento a partir do qual possam tomar uma decisão. Eu não as necessito, mas quisera lhes dar minha sobriedade. E quisera ficar para ver a explosão, mas não tenho tempo. Estou indo embora.

Mas a minha pressão sobre vocês não pode de maneira alguma ser pessoal. Isso seria opressão. Vocês têm que decidir individualmente que querem fazê-lo. Como mulheres podem fazê-lo!

Ver que algo assim pode acontecer é para mim enormemente excitante. Será possível? Eu espero que sim, mas não sei.

Dependo de ter sucesso no meu propósito de alcançá-las sobriamente.

Seus pais demoraram anos em socializá-las, agora deverão trabalhar anos para romper essa socialização.

Em 1985 a Mulher Nagual voltou e isto mudou por inteiro o mundo de don Juan. Então nos encontramos totalmente sozinhos, fazendo algo novo que nunca foi intentado antes. Preciso de tempo. Talvez vocês possam ser uma razão de peso para que este tempo me seja concedido.


Tags

Filosofia Esoterismo Carlos Castaneda Buda História Ocultismo Toltecas Artes Marciais Ciência Política Don Juan de Matus Religião Budismo Consciência Educação Física Quântica Inteligência Jedi Mestres de Sabedoria Mistério Star Wars Zen Budismo A erva do diabo Albert Einstein Artes Culpa Deus Emoções Energia Gregos Hinduísmo Intuição Jesus Liberdade Maya Medos Natureza Platão Psicologia Renascença Renascimento Sith Tempo Teorias de Conspiração Universo Vibrações Virtudes Vontade enfrentar os medos iChing medo Alcorão Amit Goswami Amizade Apolônio de Tiana Asceta Astrologia Baghavad Gita Bardo Thodol Bem Bom Budhi Bíblia Carlos Castaneda expansão da consciência Carma Cortesia Cosmos Criança Cristianismo Céu Darth Vader Desinformação Deuses Dhamaphada Discípulo Diálogo Ecologia Escola de mistérios Esparta Espreita Espírito Fadas Faraó Fogo Física da Alma Guerreiro HPB Helena Petrovna Blavatsky Hierofantes Humor Idealismo Inferno Krishna Linhas de Força Livros Logos Magia Maomé Matrix Mecânica Quântica Michel Echenique Isasa Mitos Moral Morte Música O fogo interior Orfeu Ovo de Luz Pacto Pirâmides Poluição Problemas Profecia Psicossomatica Reis Romanos Sabedoria Saltimbancos Samurai Saúde Sebos Sentimentos Ser magoado Skywalker Sol Sábios Sócrates Terra Tradição Triângulo Ventos Astrais Violência a voz do silêncio aceitação afrodite ansiedade apolo ares arthemis arthemisa atena athena coragem destino deuses gregos dionísio doutrina secreta espartanos feliz dia das mães ficar magoado ideais idéias krishnamurti lu andarilho lu conduta marte mágoas o poder do silêncio o presente da águia objetivos os 300 os 300 de esparta polaridade consciência portões de fogo provérbio raiva reencarnação silêncio stress teoria quântica termópilas