sexta-feira, 24 de abril de 2009

Quem tem poder deve ser moderado em usa-lo

Hoje assisti a um capítulo do Star Wars Clone Wars que foi muito interessante, foi uma batalha entre um general muito poderoso do lado negro da força contra um Mestre Jedi e seu aprendiz.

No decorrer da batalha em determinado momento o aprendiz Jedi dominado por sua revolta e vontade de vingar-se do General do lado negro, desobedece o plano de fuga de seu mestre e vai de encontro ao General para lutar. Medindo força contra força e perdendo sua principal virtude no momento em que cedeu aos seus instintos de ira, o Aprendiz Jedi acaba morrendo.

Após isso se defrontam o Mestre Jedi e o General do lado obscuro e neste momento quem acaba em desvantagem é o General pois o Jedi se mantem no centro de si mesmo, concentrado e limpo de qualquer instinto animal.

No final chegam mais reforços do lado negro e o Jedi acaba por se retirar. Isto só é possível porque o Jedi não tem vaidade nenhuma a defender, caso contrario seu sentido de importância própria nunca o teria deixado fazer esta retirada estratégica.

Carlos Castañeda quando foi aprendiz de Don Juan de Matus, um Índio Tolteca muito sábio, recebeu como um dos primeiros ensinamentos a importância de perder a importância própria. Pois um guerreiro sem vaidade é invencível. Por que? Porque ele não tem nada a perder, ele sabe que a qualquer instante pode ser seu ultimo momento sobre a terra e sendo assim ele deve ter impecabilidade, ou seja, agir da melhor forma possível o tempo todo.

Voltando ao capítulo do Star Wars que falávamos, ele termina com o grande Mestre Jedi, o Mestre Yoda dizendo aos seus discípulos que confrontar poder contra poder não é virtude Jedi, sob pena perdermos a nós próprios, a nossa identidade.

Quantas vezes temos entrado em uma discussão tentando mostrar que sabemos mais? A história nos mostra que nos momentos de exaltação dos ânimos os sábios guardavam impassível silêncio.

Ja dizia Buda:

Vale mais do que vencer a mil homens em batalha, aquele que vence a si mesmo.

A!

Tags

Filosofia Esoterismo Carlos Castaneda Buda História Ocultismo Toltecas Artes Marciais Ciência Política Don Juan de Matus Religião Budismo Consciência Educação Física Quântica Inteligência Jedi Mestres de Sabedoria Mistério Star Wars Zen Budismo A erva do diabo Albert Einstein Artes Culpa Deus Emoções Energia Gregos Hinduísmo Intuição Jesus Liberdade Maya Medos Natureza Platão Psicologia Renascença Renascimento Sith Tempo Teorias de Conspiração Universo Vibrações Virtudes Vontade enfrentar os medos iChing medo Alcorão Amit Goswami Amizade Apolônio de Tiana Asceta Astrologia Baghavad Gita Bardo Thodol Bem Bom Budhi Bíblia Carlos Castaneda expansão da consciência Carma Cortesia Cosmos Criança Cristianismo Céu Darth Vader Desinformação Deuses Dhamaphada Discípulo Diálogo Ecologia Escola de mistérios Esparta Espreita Espírito Fadas Faraó Fogo Física da Alma Guerreiro HPB Helena Petrovna Blavatsky Hierofantes Humor Idealismo Inferno Krishna Linhas de Força Livros Logos Magia Maomé Matrix Mecânica Quântica Michel Echenique Isasa Mitos Moral Morte Música O fogo interior Orfeu Ovo de Luz Pacto Pirâmides Poluição Problemas Profecia Psicossomatica Reis Romanos Sabedoria Saltimbancos Samurai Saúde Sebos Sentimentos Ser magoado Skywalker Sol Sábios Sócrates Terra Tradição Triângulo Ventos Astrais Violência a voz do silêncio aceitação afrodite ansiedade apolo ares arthemis arthemisa atena athena coragem destino deuses gregos dionísio doutrina secreta espartanos feliz dia das mães ficar magoado ideais idéias krishnamurti lu andarilho lu conduta marte mágoas o poder do silêncio o presente da águia objetivos os 300 os 300 de esparta polaridade consciência portões de fogo provérbio raiva reencarnação silêncio stress teoria quântica termópilas